Dedicado aos grandes Mestres da Música e considerados imortais pela arte ,Tem muitas coisas para escrever sobre a música. Não vou falar direto como surgiu, mas sim aqueles que fizeram história.Muitos músicos nos seus repertórios sempre apresentam uma canção desses músicos imortais que não conseguimos esquecer, por que alguns foram bons e continuam sendo bons ou melhor São realmente inesquecíveis.



Josef Pieper(Trad.: Sivar Hoepner Ferreira, de "Über die Musik" - fala em uma sessão de Bach - in Nur der Liebende singt, Schwabenvlg., 1988)

O fato de que quem filosofa - sobretudo quando se ocupa da dinâmica da formação e da realização do ser humano - dedique especial atenção a meditar sobre a essência da música, não é casual nem movido por "interesses musicais" pessoais. Essa atenção especial remete, antes, a uma grande tradição que remonta quase à origem dos tempos, a Platão, a Pitágoras e às doutrinas de sabedoria do Extremo Oriente.

E isto não se deve somente ao fato de a filosofia ter por objeto coisas "espantosas" (para as quais, como afirmam Aristóteles e Tomás de Aquino, deve especificamente voltar-se quem filosofa) - não é somente porque a música é mirandum, uma das coisas mais maravilhosas e misteriosas do mundo. Não é só, tampouco, pelo fato de que "musicar" é uma atividade da qual se poderia dizer que é um oculto filosofar - um Exercitium Metaphysices Occultum - da alma que, sem saber, filosofava, como diz Schopenhauer na sua profunda discussão para o estabelecimento de uma metafísica da música.

O que a música sempre traz - e este é o fato mais decisivo - ao campo de visão do filósofo é a sua proximidade da existência humana, uma característica específica que torna a música necessariamente objeto essencial para todos os que refletem sobre a realização humana.

A pergunta que especialmente fascina o filósofo que medita sobre a essência da música, é: o que propriamente percebemos quando ouvimos música? Pois, sem dúvida, trata-se de mais (e de outra coisa) que os sons resultantes do roçar as cordas do violino, soprar a flauta ou percutir o teclado – isto tudo ouvem também os mais insensíveis. O que é, então, o que propriamente percebemos, quando ouvimos música de forma adequada?

Para as outras artes essa mesma indagação propõe-se mais facilmente – ainda que a pergunta: "O que é que propriamente vemos quando contemplamos o Rasenstück de Dürer?" também não seja fácil de responder, pois certamente não é o céspede que se apresenta à vista, na natureza ou numa foto – não é este "objeto" que nós propriamente vemos, quando observamos um quadro de forma adequada. O que realmente percebemos quando ouvimos um poema, quando apreendemos a poesia de um poema? Certamente é mais (e é outra coisa) do que o que foi "objetivamente" proferido (isto tem sido identificado na poética como uma impureza, mas é uma "impureza" sem dúvida necessária).

Músicos Imortais

Músicos Imortais
deuses imortais em suas artes , Aquilo cuja lembrança permanece na memória da humanidade, glória imortal, Sem fim e Que se admira através dos séculos.

Mahalia Jackson












Mahalia Jackson (26 de outubro de 1911, Nova Orleans, Louisiana, EUA – 27 de janeiro de 1972, Chicago, Illinois) foi uma das principais cantoras gospel dos Estados Unidos no século 20. Teve uma participação especial no filme "Imitação da Vida" (Imitation of Life), de 1959, dirigido por Douglas Sirk e interpretado por Lana Turner e Sandra Dee.

Cantora de gospels e spirituals, Mahalia nasceu em New Orleans, Louisiana, no dia 26 de outubro de 1911 e faleceu em Chicago, Illinois, no dia 27 de janeiro de 1972. Considerada a melhor intérprete de spirituals, gospels e cantos religiosos de todos os tempos, Mahalia Jackson contribuiu para a divulgação da música ritual afro-americana, permanecendo sempre fiel a si mesma.

Mahalia nasceu em um dos bairros mais pobres de New Orleans, numa favela a dois passos do rio. De família muito pobre, ela foi posta aos cuidados de uma tia, muito religiosa e assídua freqüentadora da igreja local.

A estrutura dos hinos religiosos, nos quais se inseria o jogo de perguntas e respostas, marcava os tons do diálogo musical da África negra, oferecendo a Mahalia motivações espirituais. Ela jamais abandonou sua inclinação religiosa, até mesmo quando importantes músicos de jazz, como Earl Hines e Duke Ellington lhe ofereciam a possibilidade de se envolver mais com o jazz.

Nos anos vinte, a família Jackson se mudou para Chicago. Cidade fundamental, onde ocorreu um fato determinante para definir seu estilo: o encontro com Bessie Smith. A sua voz grave e solene tornava a melhor referência para Mahalia, em que pese a diferença de conteúdo, pois Bessie cantava o blues da cidade e do mundo.

Em Chicago, Mahalia se uniu a Wilbur e Robert Johnson, formando o grupo "Johnson Gospels Singers", com o qual começou a percorrer os Estados Unidos, atuando em igrejas e teatros. O encontro com Thomas Dorsey, deu uma nova guinada na vida de Mahalia, que iniciou com ele uma série de atuações que lhe abririam não só as portas do sucesso, mas o "Carnegie Hall".

Mahalia entrou no templo da música novaiorquina e ali cantou spirituals e gospels, obtendo um sucesso tal que os empresários repetiram a experiência todos os anos, numa série de inesquecíveis concertos. Começaram suas excursões pela Europa, e em Roma foi recebida pelo Papa, antes de uma peregrinação a Jerusalém.

De volta aos Estados Unidos, na época das primeiras reações dos negros ante a perseguição racial, Mahalia estabeleceu contatos com Martin Luther King, participando no famoso boicote de Alabama e na marcha sobre Washington, durante a qual entoou várias vezes o canto negro “We Shall Overcome”.

ASeu sucesso foi decaindo pouco a pouco, e Mahalia substituía o cansaço do canto pela dedicação a obras de beneficência.Pouco antes de morrer, era sempre encontrada cercada de crianças negras, a quem sabia oferecer seu carinho e seu sorriso.

Discografia
1958 Live at Newport Columbia
1962 Silent Night (Songs for Christmas) Sony
1968 Sings the Best-Loved Hymns of Dr. M.L. King CBS
1975 The World Greatest Gospel Singer Collectables
1991 Gospels, Spirituals & Hymns Columbia/Legacy
1993 Nobody Knows the Trouble I Have Seen Vogue
1996 16 Most Requested Songs Columbia/Legacy